“Like a Rolling Stone”, quando uma música muda a história da música

quarta-feira, 19 de maio de 2010
Poucas canções são capazes de marcar época e dar novos rumos à música. Nesse sentido, Like a Rolling Stone, do Bob Dylan, foi um divisor de águas, estabelecendo um novo padrão sonoro e literário para a música pop mundial. E como tudo que ousa quebrar padrões, a trajetória de Like a Rolling Stone foi tumultuada e polêmica, não por acaso ela foi considerada por críticos especialistas como a música mais importante e influente do século XX.

É impossível falar sobre o rock sem falar da importância de Bob Dylan na evolução desse gênero. O rock’n’roll surgia ao som de Elvis Presley e assim começava-se a definir o padrão comportamental da juventude, logo em seguida viriam os Beatles que mostrariam uma nova maneira de fazer música pop, consequentemente levando outras bandas inglesas, a exemplo dos Rolling Stones, a buscar o sucesso. Mas somente em 20 de julho de 1965 quando Bob Dylan lançou Like a Roling Stone é que o rock experimentou uma transformação verdadeira, o gênero deixou de tratar de assuntos comuns, narrados de maneira breve, para dar lugar ao intimismo e a uma narrativa mais pesada, cheia de metáforas. Assim, Like a Rolling Stone passou a ser símbolo da contracultura e Dylan a influenciar vários artistas, como Jimi Hendrix e Frank Zappa.

Like a Roling Stone não só revolucionou a narrativa musical como também a forma de divulgar uma canção no rádio. As músicas até então só podiam ter no máximo três minutos de duração devido à própria capacidade do suporte, mas a canção tinha o dobro de duração. A gravadora sugeriu a Dylan que a editasse, método que foi prontamente recusado por ele sendo então dividida em duas partes. Apesar disso, o público exigia que a música fosse tocada na integra nas rádios. Os versos de Like a Rolling Stone contam a história de uma senhora de classe alta que de repente se vê pobre e falida, passando a sentir na pele a sensação de indiferença e de hostilidade da sociedade, culminando no refrão ácido “How does it feel / to be on your own / like a complete unknown / just like a rolling stone''.

Like a Rolling Stone foi o grande destaque do Lp Highway 61 Revisited, álbum que levou os fãs do Folk a acusar Dylan de traidor e a vaiá-lo em suas apresentação. Um público tão acostumado à sonoridade acústica que não admitia a introdução da guitarra elétrica em suas canções. Tão visionários e progressistas politicamente, porém intransigentes em relação à música. Esse episódio me fez lembrar dos Tropicalistas que foram acusados de alienados, traidores e americanizados, só porque subverteram a ordem tradicional de fazer música brasileira, inaugurando, assim, uma nova estética para a canção nacional. Mas, enfim, isso é assunto para outro post.

E para quem se interessou pelo tema, sugiro o livro “Like a Rolling Stone – Bob Dylan na Encruzilhada”. recém lançado pelo crítico musical Greil Marcus, no qual ele destrincha a canção e seu processo de feitura , assim como o contexto político e cultural da época.

24 comentários:

Leo B. disse...

Acho que essa música só conseguiria ter esse poder com um gênio igual Bob Dylan cantando. Não sou tão fã dessa música, mas curto demais o Bod Dylan!

Parabéns pelo post!

Inez disse...

Nossa fazia um tempão que eu não ouvia essa música, realmente ela foi um divisor de águas na história da música pop.

Luiz Reis disse...

estou ouvindo agora e j´vou por no meu cel.

artculando disse...

Pois eh ... de tempos em tempos, algo surge para mudar tudo oq pensavamos q nunca mudaria ...

Algumas vezes temos tristes surpresas, como Thacabum gravando musica eletronica misturada com axe ... isso eh de chorar ... hehehe

Depois passa no meu blog!
http://artculando.wordpress.com
=)

Fabrício Salim disse...

Sou mais a versão cover dos Rolling Stones e o clipe lisérgico/alucinógeno com a Patricia Arquette.

Ariane Grj disse...

Rock antigo e tudo de bom, hoje em dia e dificil musicas boas!

Luciano disse...

Retribuíndo a visita Ítalo. Excelente lembrança e excelente texto. Músicas como essa são marcos culturais e marcam tanto uma época que sempre serão referência. Quem inacreditavelmente escuta pela primeira vez hoje em dia vai gostar e achar atual. Muito bom, vou seguir tb para conhecer o blog com mais calma. Abs.

Coca disse...

Reportagem que passou uma vez na Jornal da Globo, muito bom

Pedro disse...

Só o Bob poderia fazer algo assim.
Ele é o mestre.!

=)

♫ Angélica ♥ Kawai ♪ disse...

grande lenda... grande exemplo!
adorei!

extrovertimido disse...

blog legal

Tatiana disse...

Primeira vez que eu escutei BOB Dilan, apesar que já havia ouvido falar nele é claro, afinal eu não sou tão desinformada assim! Qto mais eu leio blogs de musica mais eu percebo que nada sei sobre ela ou sua história. Eu acho super relevante a exposição desse tipo de informação que geralmente é fruto de influencias, o que na minha opinião abrange muito o conhecimento dessa arte.
Parabéns

Jeh Pagliai disse...

Nossa, que demais...
Não fazia ideia que "Like a Stone" era do Bob Dylan...rs

Gostei de saber, ele tocava mtooo bem!

Beijinhos

---
www.jehjeh.com

Macaco Pipi disse...

SÓ AS MARAVILHAS HEIN?!

Thamyzinha Iwasaki disse...

Bob Dylan um grande cantor, atravez da voz dele o cenario musical mudou muito e para melhor claro^_^

xau

Macaco Pipi disse...

estou divulgando a comunidade pra quem nao dá calotes

só convidados selecionados

http://www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=93937074

Amanda S. disse...

O Bob é o cara! poucos tem o talento que ele teve.

Niemi Hyyrynen disse...

Oie ^^

Ahnm eu adoro Dylan, e pensar que até Fagner regravou Dylan....

Mas o que me pega na memória, é que esse tipo de música "pra frente" se tornou hoje referência do que era bom "antes" indo de confronto com o que é feito hoje, tal qual ela fez na sua época contestando.

O tempo passa e as coisas mudam de lugar.

:)

Niemi

mixaria disse...

Bob Dylan é o melhoor !

ALIMAC disse...

Dylan é um mestre. Musico, compositor, artista, ídolo realmente. Na sua voz inegavelmente fanha, a gente sente todo seu sentimento, e se envolve, e se encanta. Aprende que musica é sentir.

www.teoria-do-playmobil.blogspot.com

Jaciel disse...

concordo.....

Salete Corrêa disse...

Rock tem a sabedoria de ser mutável, e seus gênios o souberam fazer como ninguém! Se hoje conhecemos a diversidade são a eles que devemos agradecimentos, pois um dia ele foi vaiado e continuou cantando, para que anos depois seu exemplo fosse repetido e sua música reproduzida em incessante exaustão!

Gabriel Pozzi disse...

Mestre Italo Richard! Texto de arrepiar!
Até eu, que sou um pouco conservador na minha opinião que tudo é variado dos Beatles, acabei de ser convencido que Bob Dylan também tem seu nome na ficha, e em destaque com marca texto fluorescente! rsrs
Bob Dylan é um prova que quaisquer mudanças quanto à sonoridade de certos artistas podem ser bem vindas, você nunca sabe quando está jogando pedras em um novo "Like a Rolling Stone" da vida!
Lindo texto, com uma base informativa imensa, estou aguardando ansiosamente um post quanto aos Tropicalistas, pq do bob Dylan eu já entendia um pouco, mas tudo o que disse dos tropicalistas será novidade pra mim!
Um abraço, e obrigado pelos comentários! :)

http://songsweetsong.blogspot.com/

indivídua disse...

minha vida se divide entre antes e depois de bob dylan. é clichê, mas ele é mesmo o cara!

Postar um comentário