Meu ouvido não é penico!

terça-feira, 20 de julho de 2010

Todo mundo tem o direito de ouvir a música que quiser, seja ela boa ou ruim, porque gosto é igual a ouvido cada um tem o seu, desde que cada um curta seu som no seu espaço, sem ninguém precisar ser torturado. Digo isso porque não há nada pior que estar dentro de um ônibus quando algum passageiro “esperto” decide pegar o celular e colocar aquela música baixo astral em volume máximo, e o cara em questão ainda se acha o máximo por socializar o mau gosto. Ou quando você está tomando sua cerveja gelada num boteco, conversando com amigos e chega alguém em um carro, abre o porta malas, mostra toda potência do seu aparelho de som e coloca no replay aquela música de gosto duvidoso, isso quando não sai de dentro do automóvel moças e rapazes afim de exibir seus dotes coreográficos descendo até o chão.

Não sou preconceituoso quanto a gêneros musicais, apesar de minhas preferências ouço de tudo um pouco. Mas sou completamente intolerante quando se passa dos limites, quando a música é vulgar até o último acorde. Alguns gêneros estão infestados disso, em especial, o funk, forró e o pagode baiano. Vou citar apenas alguns casos do pagode baiano, já que sou da Bahia e estou mais exposto as pérolas desse ritmo. Algumas letras se referem à mulher de forma pejorativa e humilhante, algo assim... suuuuper natural. Em uma das canções do grupo Black Stile, por exemplo, chamada "Patinha", é narrada as peripécias de uma garota de nome Marcela, prima de Isabela, que pegou todos os rapazes da banda, culminando no refrão nada delicado "me dá, me dá a patinha, sua cachorrinha...”, é pavoroso, é revoltante, dá vontade de mandar um recado para o “compositor” dizendo: “você não tem mãe não é, p***?”. Essa é apenas uma das diversas canções do grupo, sendo todas do mesmo naipe, não vou nem elencar aqui por questão de constrangimento. Vale destacar que essa (des)qualidade não é exclusiva ao grupo musical em questão.

Vocês podem até argumentar que se eu estou falando sobre isso é porque eu escuto esse tipo de música, não, eu não consumo esse tipo de música, não vou ao Salvador Fest, nem ao Pagodão Elétrico,mas estou a mercê dos alto falantes dos carros, dos celulares de gaiatos, dos vizinhos sem noção. Então, caros leitores, o Rebolation pode ser ruim, pobre, mas é inofensivo perto disso aí. Além de não comprometer ninguém, apenas atormentar nossos ouvidos.

42 comentários:

Uan Luxos de Princesa disse...

Concordo contigo...

“me dá, me dá a patinha, sua cachorrinha...”,

E o que elas fazem? Dão a patinha...Quem da a patinha?

Cachorras, para não dizer o nome correto e não "chocar".

É uma vulgaridade sem tamanha e quando alguma mulher se sente ofendida com esse tipo de letra que odeeeeeeeeeeeeeeio, não pode reclamar.

Se respeite primeiro tudo é consequência dos teus atos, é vero.

Beijocas!

karine luadek disse...

obs: a mãe dele um dia deu a patinha, caso contrário ele não teria nascido... o que acho eu não faria a menor diferença heheheheh
mas sim... inconveniência musical existe e é muito chato... aqui no rio capital o que mais tem é funqueiro de engarrafamento, que vc tá no ônibus, tudo parado e aiiiiii.... o sujeito bota aquele pancadão de letras nada criativas e feias pow...
bem... é a vida...fones de ouvido pra essa gente pf!

Tati disse...

CONCORDO! CONCORDO!
Ninguém merece ser torturado pelo mau gosto musical alheio. E vale insistir: isso não é preconceito. É CONCEITO MUITO BEM FORMADO!

Rogerio disse...

gosto musical não se discute...mas que tem umas musicas que pra falar a verdade e melhor nem tocar;;;mas cada um e cada um...nada podemos fazer...apenas evitar,,,

Thalita Prado disse...

Concordo com tudo isto! E acho que a música está morrendo. Gosto musical não se discute, mas podem concordar ou não com este.

Muito bom, adorei! Estou te seguindo.

Damaris disse...

é lamentavel saber que há pessoas que curtem esse tipo de musica e ainda por cima fazem questão de exaltar o ''gosto'' que não possuem (...)
costumo brincar com meus amigos aqui em SP que o mal gosto musical do individuo corresponde a altura do volume do seu autofalante. rss

gostei do texto!
muito bem elaborado!
Abraços

sorteloterias disse...

concordo em genero numero e grau,

os outros comentarios ja disseram tudo tambem.

♫ Angélica ♥ Kawai ♪ disse...

As pessoas ainda amam o rebolation... outra m**** por assim dizer que não tem nada de interessante alçem de um bando de gente rebolando sem a p**** de um motivo melhor.. a vida é um troço mesmo...

Alan Costa disse...

infelizmente somos obrigados a ouvir músicas que não tem a minima condição de estar na sociedade.

Ana disse...

Ótimo blog, conteúdo, layout e postagem ! :D
Parabéns, amei a primeira parte : Todo mundo tem o direito de ouvir a música que quiser, seja ela boa ou ruim, porque gosto é igual a ouvido cada um tem o seu.

Se puder entra no meu blog : http://musicapsempre.blogspot.com/

Francorebel disse...

Ninguém toca Vivaldi alto no radinho de pilha, ninguém liga o som do carro no último volume tocando Beatles ou Frank Sinatra ou Caetano Veloso e tal... fazer o quê, né!

Mônica Pinheiro disse...

Gostei do blog. Estou te seguindo!
http://www.redenacional1.blogspot.com

Léo disse...

Cada um escuta o que quer... sem preconceitos, quanto ao ritmo de musica q cada um gosta =]

http://videoaulas2009.blogspot.com

Andre Mansim disse...

O duro é quando vc está num barzinho e chega um chatão com o som do carro nas ultimas e com uma música horrivel, crédo !! Fico brabo pra caramba !

Gil disse...

"...isso quando não sai de dentro do automóvel moças e rapazes afim de exibir seus dotes coreográficos descendo até o chão."
É realemnte inquestionável,há pessoas que não teem o mínimo senso do rídiculo,rsrs.
Além de expor seu mal gosto,ainda fazem questão de expor ao ridículo,aliás...isso eh até expor-se ao ridículo em dobro...e fazer o que?Temos ouvidos né? E infelismente não podemos programá-los para ouvir apenas o que gostamos,nem tem pouco com os olhos,olhar o que apreciamos...
Suportemos,e contenhamo-nos,para não reagirmos de forma brutal!!! hsuahsuahusas

Canto do Lufa disse...

Realmente tenho muita preguiça desse tipo de gente que realmente incomoda achando que está sendo o revolucionador, o trazedor da alegri.
Que ódio que dá!


Lamentável.

Entendo perfeitamente tudo que vc disse e inclusive, dei umas algumas gargalhadas porque acontece assim em qualquer lugar do Brasil. Eu sou do Rio de Janeiro e aqui também acontece isso.

Suzy Carvalho disse...

essas musicas sao deploraveis e pior eh pensar q tem quem goste e dance uma coisa dessas .-.
ignorancia sem limites!

DevaneiosDevassos disse...

Bom, isso me lembrou quando fui para uma festa de Carnavel no Rio Grande do Norte e a música mais tocada era "Quer pegar, é?". Não vou nem colocar o link de tal atrocidade aqui, por que seria desperdício para os olhos dos leitores deste comentário. Só to comentando para dizer que fiquei feliz em ver que é quase geral essa opinião dentro da população sensata que circunda esse país, é a opinião de NÃO À INVASÃO DO ESPAÇO ALHIEO!!! Parabéns pelo blog!

Daniel Silva disse...

hoje em dia ia para qualquer lugar fazer festas, não importava a música que tocasse. hoje sou mais seletivo. saio para onde sei que vou ouvir algo legal. se bem que, ouço o que gosto em casa, né?

abraço!

Águas Escuras disse...

Lamento também pelos ouvidos destes pobres brasileiros que vao ouvindo e curtindo qualquer ritmo sem nem mesmo entender o que realmente é musica. Onde está aquela qualidade de som de anos? Sou um dos que se irritam com os "sem fone", sem noção, sem respeito, sem cultura e "analfabetos" de ouvido. Doi mais saber que um ser nao sabe apreciar uma musica do que ouvir musica ruim. Pq se ele nao sabe o q é bom o que pdera ensinar?

Super.L disse...

Gosto do que escuto e acho que tenho bom gosto !

;S'

Pobre esponja disse...

Mesmo que seja uma música que me toque, acho errado; e geralmente (quase 100 por cento) é alguma periguete 'dando a patinha' - que deve ser bumbum em funkês.

abç
Pobre Esponja

Rochafc disse...

goistei meda sua patinha sua cachorrinha vou passar e escultar esta banda
brincadeira eu sou de Goiania a terra do sertanojo apesar de gostar de alguma musicas tem uma que e uma merda mesmo parabens pelo blog muito criativo


http://rochafcx.blogspot.com/

Nivaldo Gomes Filho disse...

concordo apesar de ser baiano odeio axe ( pagode) as musicas nas maiorias das vezes só tem 2 frases enao diz nada com nada..


adoro musica evangelica e mpb

Rê Souza disse...

pois é... cada um com seu gosto musical.. não sou obrigada a escutar o que meu vizinho escuta... e diga de passagem meu vizinho é um cara evangelico q gosta de ouvir nas alturas... e ainda canta po kkkkkkkk ninguem merece..nada contra a musica... mas po qro estudar, qro ler e nao consigo com essa poluição sonora.. hsuahuhsa


enfim.. adorei o post

=* renatalea.blospot.com

obrigada pela visita.

J. Valentin disse...

Hahahahaha MTOOO bom o tema do texto. Realmente é complicado, tem certas coisas que temos que ouvir por ai e não é nada legal.
Mto bom texto, bem critico! Curti.

Abraço

Fernando disse...

Concordo em gênero, número e grau com seu texto, sua opinião.

"Sou COMPLETAMENTE intolerante quando se passa dos limites!"

abs,
seuanonimo.blogspot.com

Yasmin Silveira disse...

Abomino este tipo de pessoa que coloca música alta no celular dentro de tranportes públicos. Me gera um sentimento de desprezo tao grande que beira a agressividade... hahaha mas sou da paz!

http://orasbolotas.blogspot.com/

óQuei rÒque disse...

Eu vejo pelo lado bom, pelo menos não sou o cara com o volume alto. E no fim do dia, vou ouvir meu "róque em rou" sossegado...abraço

http://ahistoriacomoelafoi.zip.net/

Adilson Guimarães disse...

Olá. Ótimo blog, enfim... na verdade vim até aqui mais uma vez pra agradecer ao comentário no meu blog Catarse e dizer que estou à disposição pra sanar suas dúvidas em relação ao meu texto. Abraço cara, sucesso!

mulherices disse...

Não sei q idade vc tem, mas eu sou do tempo em que música era cultura. Fazia refletir, agregava conteúdo e idéias.

Hoje em dia, o que a grande massa da população consome, não passa de um sub produto de lixo, feito para diversão fútil, rápida e descartável. Acho isso uma tristeza.

impudicicia disse...

OI. Boa noite. Ah! Eu já tinha vindo aqui nese blog em uma outra oportunidade e agora retornei. Eu acho o seu blog ótimo e, em muito me agrada as críticas feitas por você, através dos seus textos, a tudo que se refere à música. Parabés pelo blog. Gostei mesmo!

-Bia disse...

HUAHAUHahua apoiadíssimo! Por eu ser de Salvador, já passei muito por isso de sofrer com o pagode baiano... Agora me diga, se você entrar num ônibus pegar seu celular com um amplificador e colocar um Heavy Metal, punk rock, ou até um rock do mais leve no ultimo volume não vão te julgar?! É esse tipo de coisa que eu não entendo. Por que sou oobrigada a ouvir o que eu não gosto e os outros se sentem no direito de me julgar? Dizer que o que eu ouço é gritaria/ musica de maluco? '-' Pra mim maluco é quem sai por aí chamando todas de cachorras.. Tem outra agora que é algo tipo "balança o rabinho cachorra" Como se nao bastasse pedir a patinha. ¬¬

LHÚ WEISS disse...

Olá amigo! passei por aqui para ler um pouco de cultura musical e deixar-te um abraço.
Aproveitei também para te dizer que tem um blog muito legal ALMANAKUT BRASIL (almanakutbrasil.blogspot.com) é parecido com o seu, tem tudo sobre música. passa por lá, trocar idéias é sempre legal! espero que você goste...
Abraços
Lhú Weiss

Henrique Alvez disse...

Realmente, esse tipo de música comprova a decadência em que se encontra o nosso povo, infelizmente.
Pior ainda é quando somos obrigados a ouvir esse tipo de coisa, quando nossos "amigos" super educados resolvem colocar pra tocar em algum maldito celular...

ospeixesquevoam disse...

Concordo totalmente com você. Esse post expressou exatamente o que eu penso em relação há essa revolução musical insana pela qual o nosso país esta passando.

Hoje em dia, qualquer um com um microfone na mão vira músico e nesse passo a cultura e os valores são deixados de lado.

Respeito aqueles que gostam de ouvir esse tipo de coisa, mas é pra isso que existe uma coisa mágica chamada fone de ouvido (Y).

Abraços e parabéns pelo teu blog.

http://thepeixevoador.blogspot.com/

Paulo­­ϟArthur disse...

Concordo tbm!

gosteii muito do blog continue assim !

acesse: www.hvbepauloa.blogspot.com

Rafael Iglesias disse...

Sim, a tão vagabunda tecnologia do fone de ouvido ainda não chegou à nossa amada e esculachada pátria mãe gentil.

http://blogs.abril.com.br/rafaeliglesias

LADY DARK ANGEL disse...

Concordo com vc é revoltante é ridiculo

Marcos Antônio disse...

CONCORDO plenamente!
cara, ta certo que gosto é que nem braço, tem gente que nem tem, mas tem pessoas que é d+!

VAI NA FE QUE DA! disse...

Muito bacana o seu blog.. parabéns...

Marionete Sagaz disse...

Quem me conhece fica com cara de espanto quando digo que, às vezes, escuto funk, forró e samba. Sempre tenho que explicar que escuto os “de raiz”; que anos atrás (não faz tanto tempo assim...) havia espaço para bons músicos e compositores. A vulgaridade não significava $$$$ :-/.

Postar um comentário